Agenda Estratégica 2019-2024

  • 22/07/2019

APOGER ONLINE

22/07/2019

Agenda Estratégica 2019-2024

“Agenda Estratégica para 2019-2024” define os domínios prioritários que nortearão os trabalhos da União Europeia nos próximos 5 anos.

O objetivo da Agenda Estratégica para 2019-2024 é orientar o trabalho das instituições da UE, durante os próximos 5 anos, nos seguintes domínios:

  • Proteção dos cidadãos e das liberdades
  • Desenvolvimento de uma base económica forte e dinâmica
  • Construção de uma Europa com impacto neutro no clima, verde, justa e social
  • Promoção dos interesses e valores europeus na cena mundial.

Para a construção de uma Europa com impacto neutro no clima e verde:

A UE integrará as mudanças causadas pela transição para a economia verde, pelo progresso tecnológico e pela mundialização.

A UE adotará políticas coerentes com o Acordo de Paris, aproveitando a transição climática para se modernizar e, ao mesmo tempo, assumir um papel de liderança mundial numa economia verde.

Sem prescindir, a UE não pode ser a única a agir: todos os países deverão avançar e intensificar a sua ação climática.

O êxito da transição para uma economia verde dependerá da mobilização de investimentos privados e públicos significativos, da eficácia da economia circular e da existência de um mercado europeu da energia integrado, interligado e operacional, que forneça energia sustentável, segura e a preços acessíveis, no pleno respeito do direito de os Estados-Membros decidirem do seu cabaz energético.

A UE acelerará a transição para as energias renováveis, aumentará a eficiência energética, reduzirá a dependência das fontes externas, diversificará o seu aprovisionamento e investirá em soluções para a mobilidade do futuro.

A UE usará a sua influência para liderar a resposta aos desafios mundiais, mostrando a via a seguir na luta contra as alterações climáticas, promovendo o desenvolvimento sustentável e aplicando a Agenda 2030.

A forma de execução da Agenda Estratégica 2019-2024 foi debatida, no dia 18 de julho de 2019, pelo Conselho dos Assuntos Gerais, que voltará a abordar este assunto nas suas próximas reuniões, de outubro e dezembro.

DEIXAR COMENTÁRIO